A Briga

Começou sem que percebessem, como o habitual, uma frase mal interpretada, palavras descuidadosamente escolhidas e pronto, todos os problemas do passado jogados nas respectivas “caras” simultâneamente como os socos daquela luta de boxe que ele perdeu para levá-la àquela festa monótona.

Irado, ele foi para o quarto. Enquanto as panelas se chovavam com o armário exatamente da forma que o irritava e certamente por este motivo. Era a “receita de bolo” da relação nos últimos tempos. Desligou a televisão, sabia que ela viria em breve, mansa, ciente de seu erro se deitaria em silêncio e depois de alguns minutos, sem graça, falaria de algo irrelevante e talvez fizessem amor…se é que poderia chamar assim o que faziam nos últimos anos.

Aguardou em silêncio, de costas para porta. Ouviu os passos dela, a presença proxima à cama, esperou sentir o colchão se afundar com o peso do qual ela reclamava exaustivamente mas não aconteceu, intrigado, virou-se e ali estava, iluminada pela luz que vinha de fora pela porta, sua mulher tremendo de ira, com uma faca na mão…

(Inspirado em um conto de Anton P. Tchékhov)

Anúncios
Esta entrada foi postada em Contos.

Um comentário em “A Briga

  1. Cristallayne disse:

    Que tenso Heim Dudu??? Sei bem como é a “ira”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s